terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Summer trip..!

O verão ia longo demais. O trabalho era mais que muito e a vontade de fugir da rotina era igualmente enorme. Desafiei a Matilde a irmos de férias a irmos de férias. Entre "discussões" sobre o destino, acabámos por escolher onde nos conhecemos. Após muitos anos de inúmeras confidências e amizade, era a altura de fazermos férias juntos. Sendo verão, decidimos por um destino ainda mais quente, onde ninguém nos conheça e onde pudéssemos fazer o que realmente nos apetecesse. Nunca se sabe quem encontraríamos na nossa viagem e que histórias teríamos para contar mais tarde.
Chegados ao destino não perdemos tempo e já o estávamos a aproveitar. Corpos deitados na areia quente, sol abrasador, águas mornas, destino paradisíaco. Início perfeito.
Nessa noite decidimos sair. Matilde sai do quarto completamente produzida. Um vestido curto e decotado que delineavam bem todas as suas belas curvas. -"Vais deixar os homens doidos logo na primeira noite!" exclamei eu. Matilde sorriu e disse que nunca se sabe quem poderia encontrar. A noite foi longa, bem regada e bastante divertida. Conhecemos algumas pessoas. Mas Matilde era sem dúvida o centro das atenções e não podia ser de outra forma. O seu vestido, os seus cabelos louros e a sua pele morena não deixava homem nenhum indiferente. No entanto e durante a noite houve algumas provocações de parte a parte. Seria o álcool a falar? Seria o calor que se sentia nessa noite? Claramente que comecei a olhar para Matilde com outros olhos. E as provocações aumentavam ao longo da noite. Acabámos no entanto a terminar a última bebida da noite, na praia, a ver o nascer do sol.
Poucas horas dormidas, pequeno almoço tomado, de novo estendidos na areia e acompanhados das nossas caipirinhas, as nossas conversas iam aquecendo e a vontade ia aumentando. Decidimos alugar uma moto 4 e explorar outras praias durante a tarde. Levámos alguma bebida connosco para a viagem e metemos-nos a caminho. Sempre pelas praias e caminhos de terra batida, fomos parando em algumas praias e dando os nossos mergulhos. Acabámos por descobrir uma praia pequena mas deslumbrante. Decidimos ficar por esta praia e aproveitar uma vez que a tarde já ia longa. Fomos bebendo o que tínhamos levado para o caminho. As provocações aumentavam e claramente que já nos olhávamos de maneira diferente. O bikini pequeno de Matilde salientava todas as suas curvas. Era impossível não pensar em outras coisas. Decidi apimentar um pouco a tarde e desafiei-a a tomar banho nus. A praia deserta convidava a isso mesmo. Matilde recusou a ideia, mas não o mergulho. Entre mergulhos e brincadeiras, chego-me junto dela e pergunto-lhe se nunca tinha tido o desejo de nadar nua no mar. Matilde concorda dizendo que toda a mulher sonha com isso e começa a sair do mar, ainda para mais quando o Sol já ia baixo, com uma cor laranja fantástica.. Acompanho-a e volto a provocá-la. Encosto-me a ela agarrando-a pela cintura, pergunto ao ouvido se vai deixar fugir a oportunidade. Matilde solta um breve gemido e antes de responder começo a desapertar a parte de cima do seu bikini e dando pequenos beijos no seu pescoço e num ombro. Ela leva as suas mãos ao seu peito não deixando o bikini cair. Levo as minhas mãos às dela, apertando o seu peito e puxando-a contra mim. Volto a beija-la no pescoço, trinco suavemente a sua orelha, ouvindo os seus gemidos com mais frequência, até que ela inclina a sua cabeça e a sua boca vem em direcção à minha. As nossas bocas e línguas encontram-se numa vontade incontrolável. Estando agarrada a ela, Matilde começa a sentir a minha excitação encostada ao seu corpo. Leva a sua mão até ao meu pénis ainda por cima dos calções onde o aperta e começa a massajar.  Sente a minha excitação a aumentar na sua mão, quando a viro para mim e beijo-a localmente, deixando assim Matilde soltar a parte de cima do seu bikini e caímos os dois na toalha à nossa frente. Começo a explorar todo o seu corpo com a minha boca. Beijo o seu volumoso peito enquanto o aperto com as minhas mãos. Trinco suavemente os seus mamilos, começando a ouvi-la gemer mais regularmente. Continuo a descer sempre beijando, passando pela sua barriga e chegando à sua tanga. Começo a retira-la com as mãos e com a ajuda da boca. Subindo beijando as suas pernas lentamente, Matilde afasta-as indicando o que pretendida. Chegando à sua vagina a minha língua concentra-se agora e proporcionar-lhe o máximo de prazer. Os seus gemidos são agora mais audíveis, a sua mão agarra o meu cabelo, e os meus dedos ajudam a minha língua. O ritmo vai aumentando bem como o seu desejo. Sinto-a contorce-se enquanto os seus gemidos aumentam. O seu corpo treme. Atingia o orgasmo sentido-se descontrolada. Ainda ofegante puxa-me pelo queixo e beijamos-nos loucamente. A sua mão rapidamente vai de encontro ao meu pénis, completamente excitado e começa a retirar-me os calções. Deita-me na toalha e sem perder tempo a sua boca envolve o meu pénis e com a ajuda da mão começam a proporcionar-me um aumento de excitação brutal. Os meus gemidos também aumentam não sabendo quanto tempo aguento assim. Puxo-a para o meu colo onde se encaixa de imediato no meu pénis. O calor entre ambos é imenso. Sinto toda a sua excitação à medida que Matilde começa os movimentos em cima de mim. As bocas encontram-se loucamente. Matilde aumenta a intensidade enquanto coloca o seu peito na minha cara, onde o beijo e acaricio enquanto desfrutamos os dois da vontade imensa que tínhamos. Rolando na toalha sem nos largarmos, começo eu a comandar os movimentos agora. Com penetrações intensas e os nossos corpos encostados o desejo só aumenta. Matilde completamente descontrolada agarra-se às minhas costas enquanto atinge novo orgasmo. Entre gemidos e com alguma dificuldade em falar, Matilde pede para não parar. Aumento ainda mais a intensidade. Matilde atinge o clímax novamente. Completamente ofegante, pouco depois pego nela e coloco-a de quatro à minha frente. Agarrando nas suas ancas, volto a penetra-la ainda com mais intensidade. Os nossos gemidos são constantes. A vontade é imensa. Em movimentos intensos, pego nela pelo peito, trazendo-a para junto de mim sem deixar de a penetrar. Beijo-lhe no pescoço. Aperto o seu peito. Os movimentos não param. Matilde volta a cair na toalha e tento aumentar os meus movimentos. A excitação era muita. O meu corpo começa a tremer. O auge estava perto. Percebendo isso e momentos antes, Matilde deita-se na tolha virando-se para mim, enquanto pouco depois atingia o auge cobrindo o seu peito e barriga, e caindo a seu lado depois, ambos ofegantes. Momentos depois soltávamos sorrisos sobre o que tinha acabado de acontecer.

Menos ofegantes, convido-a para o banho no mar. Um por-do-sol fantástico, uma temperatura ainda bastante quente, e os nossos corpos nus no mar a desfrutar. Pouco depois e chegando-se junto a mim, Matilde beija-me novamente enquanto a sua mão faz questão de me voltar a excitar. Pegando-a ao colo, penetro-a novamente dentro de água. Com ritmos mais calmos e ao sabor do mar, a nossa vontade volta a aumentar. Sem parar de nos beijar-mos, e agarrando nas suas pernas com força, trago-a para a beira mar, onde a deitando na areia húmida, volto a possuí-la ainda mais intensamente que antes. Matilde agarra-me pelo rabo ajudando nos movimentos que eram cada vez mais intensos e rápidos. Nisto senta-me na areia e num movimento lento volta a encaixar em mim. Os seus  movimentos de anca deixa-me descontrolado. Agarro o seu rabo com força. Beijo o seu peito. As nossas línguas voltam a encontrar-se. A excitação não pára de aumentar. Matilde volta a sair e coloca-se de quatro novamente. -"Sou toda tua!". Louco de desejo, volto a iniciar os movimentos sendo os mesmos bastante intensos. As ondas pequenas chegavam até nós. Matilde voltava a atingir o orgasmo. A sua vontade parecia não ter fim. Tentava aumentar ainda mais o ritmo. Não aguentando e gemendo mais, tento aumentar um pouco mais antes de ter o orgasmo. Nisto ela sai e colocando-se de joelhos à minha frente, coloca o meu pénis na sua boca, chupando com uma vontade enorme. Ajudada pela sua mão, apertando o meu pénis com os seus lábios, sentido a sua língua, rapidamente e não aguentando, atinjo o orgasmo na sua boca.
Cansados, ofegantes, sorridentes, estamos deitados encaixados a observar o por-do-sol. Após o sol se pôr, decidimos voltar ao hotel. Afinal, as férias ainda estavam apenas no início.

2 comentários:

  1. Imagino-me no lugar dela a cada instante. Fantástica descrição

    ResponderEliminar